A carência e o carisma

Acredito que diariamente enfrentamos uma luta constante entre a carência e o carisma. A ideia deste texto é esboçar a visão da Catálise Social sobre uma forma de enxergar estes termos no contexto da vida.

1. Carência

Imagine uma casa, uma casa nova que você acabou de construir. Ela não tem móveis ainda, só espaço. Esta é a carência. Todos temos este espaço dentro de nós, mas isso não é ruim, precisamos do espaço para os móveis, para as decorações e para receber as pessoas.

2. Carisma

O Carisma é a forma que lidamos com este espaço dentro de nós. Podemos decorar de várias formas.

3. A problematização

O problema da carência não é ela em si, mas como nós lidamos com ela. A carência pode repetir entre as pessoas, mas ela é singular para cada um, porque nossas carências se reúnem em uma combinação única.

4. Exemplos

A carência de alguém pode ser a falta de cuidado, sentir falta de alguém para ajudar a arrumar a desordem. Outro pode ter a solidão como carência, e às vezes, se sentir tão sozinho que não convida as pessoas, porque não quer que elas vejam a “bagunça”.

5. O que eu sou?

Eu não sou as minhas carências, eu sou a forma que lido com as minhas carências em um determinado intervalo de tempo, e este tempo é sempre o hoje e não o ontem, por isso, eu não sou quem fui, mas o que fiz para ser melhor do que fui. Eu sou o meu carisma lidando com as minhas carências.

6. O vazio

Não acredito em pessoas ruins, acredito que algumas pessoas não conseguiram lidar com suas carências, e de alguma forma, isso transbordou de modo negativo. Ou seja, pessoas podem sim fazer coisas ruins (para os outros e para elas mesmas), e existe sim maldade no mundo, mas a maldade é a forma da expressão negativa da carência de alguém e não a pessoa em si.

7. A dualidade

Inveja e admiração, amor e ódio, rancor e perdão, agressividade e carinho etc. Existem diversos exemplos de dualidade entre a forma de lidar com a carência. O carisma são os talentos, é a minha capacidade de transbordar a minha carência de forma positiva.

8. A relação

Alguém pode se sentir pouco amado, e este ser o seu vazio, mas carências todos temos, o que nos diferencia é a forma que lidamos com a carência, posso viver a minha carência esperando que alguém preencha a minha falta de amor, ou posso decidir doar amor. Posso me odiar por não ser amado, ou posso me amar, porque sei amar. Posso me trancar na minha solidão, ou posso ir para o mundo acabando com a solidão de outras pessoas, e consecutivamente com a minha.

7. Preenchimento

O maior perigo da carência é querer que o preenchimento venha de fora. Não devemos querer, ou seja, esperar que alguém preencha as nossas carências, porque as outras pessoas também estão vivendo as delas. É egoísta demais querer que alguém nos preencha e deixe de se preencher.

8. Conexões

As nossas relações não podem/devem ser pautadas em quem me preenche, mas sim em quem me transborda. E transbordar é quando eu já sou completo por mim mesmo, mas o outro me faz mais, me faz ir além da minha própria borda.

9. Carismático

Carismático assim é, aquele que ajuda os outros a irem além das próprias bordas, porque aprendeu a ir além da sua própria.

10559872_1465965530322722_988652948088100322_nPor fim, dedico este texto à todas as pessoas que fazem o mundo mais carismático. Por favor, continuem com o ótimo trabalho =]

Jhoney Lopes

Podia ser Mestre Jedi, mas é Mestre em Engenharia de Software pela Universidade Federal de Viçosa – UFV, tá na luta como Empreendedor e desenvolve aplicativos em iOS por paixão e profissão. Sim, Worklover! =] Mantra: “De modo suave você pode sacudir o mundo.” – Mahatma Gandhi