Jovens Transformadores – Daniel Dipp

O meu sonho é… Transformar o mundo em um espaço mais diferentemente igual. Igual no sentido de oportunidade, de todas as pessoas poderem buscar seus sonhos e principalmente realizá-los, de todos terem acesso, acesso à cultura, à saúde de qualidade, estudo, sorrisos e tudo o que seja de não só necessário, mas ideal a todo ser vivo, incluindo ainda nesta lista os animais. E diferente no sentido de uma sociedade mais empática, que respeite o outro, e busque ser feliz do jeito que é, não necessitando de padrões.

Meu coração canta quando…Meu coração canta em diversos momentos, são tantos, mas vou topar o desafio de citá-los: quando vejo boas ações, quando estou em uma conversa sincera a dois, quando me vejo fazendo o que gosto, quando realizo transformações internas ou externas, quando vejo as pessoas não mais buscando ou necessitando de ajuda, mas se empoderando das próprias transformações, quando faço novos amigos daqueles que serão para a vida, quando revejo os antigos, ou quando tenho um momento único com qualquer um destes, quando um jovem da Quíron faz um projeto sensacional ou quando dão feedbacks para a Quíron, quando me deparo com uma boa comida vegetariana, quando tenho insights, quando os realizo. Acho que o principal que faz meu coração cantar é quando me vejo sendo a pessoa com quem sonho em ser. Quando imagino e realizo meu legado.

 dipp2

Daniel Dipp  – 24 anos

Impactei! Minha jornada para o impacto foi iniciada quando tinha 14 anos, quando saí da minha caixa, da minha esteira, e conheci pessoas do bairro. Neste momento comecei a viver pelo bairro, andar muito a pé, ônibus quando tinha uns trocados, mas principalmente a pé. E fiz grandes amigos até hoje e percebi como alguns não tinham a mesma perspectiva que a minha. E isto foi um grande incômodo, daquele que fica até hoje martelando minha cabeça e daí surgiu uma grande revolta e que hoje se transforma em ação. Até meus 17 anos eu só tinha em relação à desigualdade uma revolta e um pensamento de inconformismo. Quando, com 18 anos tentei odontologia, com o objetivo de servir ao exército e viajar para regiões remotas melhorando a boca das pessoas, este tinha se tornado meu sonho. Porém, acabei ficando em 17 na lista de espera, que chamou 16 pessoas.

No mesmo verão que saiu o resultado acabei conhecendo uma pessoa que me falou sobre Relações Públicas, e depois de pesquisar um pouco mais, acabei me apaixonando. E para diminuir a história que é longa, através desta mudança no percurso da minha vida, acabei conhecendo algumas pessoas, habilidades, organizações, atividades. Ajudar em asilo com comunicação, na Cruz Vermelha carregando caminhão, visitando comunidades pesqueiras, editando documentário sobre cultura local, construindo casas no Paraguai, incentivando crianças à leitura, comunidades a se reunir e buscar melhorias, OASIS no litoral paranaense, na capital… Tudo isso foi construindo quem sou hoje.

Este meu hoje, é junto com meu amigo Fernando Granato, ter construído baseado em estas e outras experiências uma metodologia de ensino inovador que tem como objetivo fazer com quê o jovem tenha acesso à conteúdos que deveriam ser de acesso a todos. Conhecer mais sobre si, sobre o ambiente, onde estamos, sobre como ter boas ideias e como realizá-las. Esta metodologia brasileira é a Quíron – Escola de Empreendedorismo e Inovação, que eu espero e sei que causará muito impacto no mundo.

Minha frase: “Só há um tempo em que é fundamental despertar. Esse tempo é agora.” – Buda

Jhoney Lopes

Podia ser Mestre Jedi, mas é Mestre em Engenharia de Software pela Universidade Federal de Viçosa – UFV, tá na luta como Empreendedor e desenvolve aplicativos em iOS por paixão e profissão. Sim, Worklover! =] Mantra: “De modo suave você pode sacudir o mundo.” – Mahatma Gandhi